3 dicas práticas de poupança para comprar imóvel

Muitas pessoas se perguntam como juntar dinheiro para comprar um imóvel. De forma geral, poupar pode ser um grande desafio. Exige disciplina, além de foco e persistência. No entanto, com um planejamento adequado, o sonho da casa própria é completamente viável. Por isso, vamos mostrar a você algumas dicas sobre como manter uma poupança para comprar imóvel.

De fato, a poupança é a aplicação mais adotada pelos brasileiros. De acordo com um levantamento publicado pela Infomoney, 60% da população deposita parte de seus recursos na caderneta. Embora existam outros rendimentos mais vantajosos, como alguns tipos de investimentos em imóveis, a poupança ainda é a preferida.

Por outro lado, é melhor aplicar na caderneta do que não poupar de forma alguma. Desde que haja um objetivo em mente. Quer ver como controlar suas finanças e aproveitar sua poupança para comprar imóvel? Então, continue a leitura e descubra!

Como poupar para comprar um imóvel

Acima de tudo, a compra planejada é sempre o melhor caminho. Embora muitas pessoas comprem imóveis de forma imediatista, por meio de um financiamento, por exemplo, esse não é o melhor caminho. Comprar um imóvel é uma decisão que envolve elevados recursos e podem impactar suas finanças por um longo prazo, por isso o ideal é fazer uma decisão com calma, com planejamento, não se deixando levar pelos apelos emocionais. Portanto, cuidado! Afinal, você não quer ver seu sonho se tornar um pesadelo, não é?

Veja neste post como se planejar para adquirir um imóvel.

É fundamental poupar visando o momento mais adequado para a compra. Imagine um casal prestes a casar ou recém-casado. Um imóvel compacto, por exemplo, é um ótimo investimento para esse perfil de comprador. Pois, se trata de um empreendimento de menor custo e pode servir como patrimônio que vai se valorizar e auxiliar na compra de um imóvel maior e melhor no futuro, quando o casal já tiver filhos e precisar de mais espaço.

Assim, o prudente é juntar recursos. Antes mesmo do casamento, no caso de noivos. Já para os recém-casados, é interessante viver em um imóvel alugado compacto barato e poupar para comprar a casa própria. Seja como for, a chave é poupar. Pelo menos na caderneta de poupança, se você não tiver experiência com outros tipos de investimentos.

Para isso, só para ilustrar, pense numa pessoa com aporte inicial de R$ 10mil na poupança, mantendo depósitos mensais de R$ 500. Durante 3 anos, a soma das aplicações na caderneta chega a R$ 28mil. Com os juros totais, esse valor ultrapassa os R$ 30mil. Só para ter uma ideia, esse valor pode representar uma entrada de um imóvel na planta — ideal para compras planejadas!

3 dicas práticas de poupança para comprar imóvel

Mas, talvez você esteja se perguntando: “como posso manter uma poupança para comprar imóvel?” Ou talvez: “como conseguir esse aporte inicial?” Ou até mesmo de qual forma manterá os depósitos frequentemente. Acalme-se, pois isso é possível! Confira a seguir.

1. Controle suas finanças

Em suma, a maioria dos brasileiros não mede o quanto entra e sai de seus recursos. Contudo, esse é o princípio da ruína financeira. Portanto, em primeiro lugar, saiba quanto você ganha. Em seguida, calcule o quanto você de fato precisa gastar. Sobretudo, elimine os custos não essenciais e a compra por impulso! Afinal, você está visando a conquista de um bem mais precioso e recompensador — a sua própria casa.

Dessa forma, anote em meios impressos ou digitais todos os seus ganhos e gastos necessários. Assim, analise o quanto sobra e, então, aplique na poupança de 10% a 30% desse valor.

Ferramentas úteis

Alguns apps para orçamento doméstico podem ajudar nesse sentido. A saber:

  • Money Wise (para Android)
  • Money Care (para iOS)
  • Bill Reminder (para Windows Phone)
  • Guia Bolso (para iOS)
  • Monefy (para Android e iOS)

Porquanto, seja por aplicativos digitais, planilhas ou simplesmente caneta e papel, documente suas entradas e saídas. Além disso, agrupe as informações por categorias, como alimentação, habitação, vestimenta, etc. Logo, resumidamente, respondo estas perguntas:

  • Quanto eu ganho por mês?
  • Quanto eu gasto por mês e por quê?
  • Quanto eu poupo por mês?

2. Poupe também para eventualidades

Igualmente, faça uma reserva para eventualidades. Afinal, nunca sabemos quando teremos de lidar com desemprego, atrasos no pagamento ou problemas de saúde, só para citar alguns casos. Os especialistas financeiros recomendam que sua reserva consiga cobrir e manter seu padrão e estilo de vida por um período de pelo menos 3 a 6 meses.

Desse modo, você resguardará pelo menos parcialmente de suas despesas futuras. O que, por sua vez, não comprometerá os esforços da sua poupança para comprar imóvel.

3. Cuide do seu patrimônio material

Em terceiro lugar, examine constantemente seu balanço patrimonial. Ou seja, seus bens ativos e passivos — aquilo que de fato é seu ou está financiado. Nesse sentido, podemos destacar no mínimo 3 situações financeiras:

  • Finanças bem-sucedidas: pessoas com bens quitados, além de renda fixa e rendimentos capazes de pagar em parte ou totalmente suas despesas mensais;
  • Finanças desequilibradas: possui alguns bens, porém, a maioria ainda não quitada. Logo, o passivo é mais elevado na medida em que há despesas com empréstimos em geral;
  • Finanças em risco de falência: esse quadro representa a pessoa sem bens, morando de aluguel e também com gastos maiores do que os ganhos.

Portanto, o fundamental na poupança para comprar imóvel é assumir o controle das suas finanças de forma inteligente. Desse modo, não gaste mais do que ganha, consuma apenas o essencial. Ademais, meça suas finanças e mantenha uma reserva para imprevistos. Calcule o quanto será destinado à caderneta e comece com um aporte inicial interessante. Então, assuma o controle e comece a poupar para a casa própria! Se gostou das dicas, compartilhe este post e conte ao seus amigos seus planos para adquirir seu imóvel.

Deixe um comentário