5 Problemas com financiamento de um imóvel e como evitá-los

A compra de um imóvel próprio é o sonho da maioria dos brasileiros. Seja para fins residenciais ou para negócios. Neste sentido, financiar um imóvel pode ser a solução. O financiamento pela Caixa Econômica é um dos mais buscados. Por isso escrevemos um post separado falando sobre ele. E para te auxiliar ainda mais neste processo, abordaremos neste artigo os 5 principais problemas com financiamento de um imóvel, indicando como você pode evitá-los e, assim, realizar seu sonho. Confira!

Quais são os principais problemas com financiamento de um imóvel?

Embora o financiamento possa ser um facilitador para quem deseja adquirir um imóvel, o processo é burocrático, o que exige paciência e persistência do comprador.

Assim, as principais dificuldades estão relacionadas à papelada para a aprovação do processo. Por isso, é fundamental:

  • Checar os documentos necessários para o financiamento, observando o seu caso específico;
  • Tirar dúvidas com o banco o qual se pretende fazer o empréstimo;
  • Averiguar a situação do imóvel, checando também a sua documentação;
  • Conferir detalhadamente a documentação do vendedor;
  • Verificar particularidades de compradores pessoa física ou pessoa jurídica;
  • Verificar as exigências especiais do banco (que pode solicitar outros documentos que não indicados na lista da documentação padrão);
  • Conferir a documentação para imóvel novo ou usado;
  • Conhecer as regras para o uso de fundos financeiro, como o FGTS;
  • Entre outras.

Tendo em mente essas dicas iniciais, você já tem base para evitar os principais problemas com financiamento de um imóvel. Conheça agora os 5 mais comuns, antecipe-se e veja como vencer estes obstáculos!

1. Calcular o valor do financiamento sem considerar a correção monetária

Este problema pode surpreender compradores de imóveis na planta — aqueles que são vendidos ainda em fase de planejamento e/ou em construção. Isso acontece quando o cálculo do valor do financiamento do imóvel a ser entregue é feito sobre o valor que sobrou após a entrada, sem considerar a correção monetária sobre o saldo devedor.

Assim, o resultado deste erro pode ser a recusa do financiamento, caso a renda do comprador esteja no limite para o crédito na hora de fechar a compra. Para evitar essa situação, o consumidor deve se informar sobre o índice de correção aplicado nas parcelas até a entrega do imóvel. Além disso, precisa se certificar também se o contrato descreve se as parcelas serão fixas ou corrigidas. Neste caso, basta observar qual é o índice indicado.

2. Ser impedido de usar o FGTS para financiamento

Como já mencionamos anteriormente, é preciso verificar com o banco o qual será feito o empréstimo imobiliário as regras para o uso de fundos financeiros, como o FGTS. Muitos compradores, após a entrega do imóvel, têm problemas na hora da correção da dívida por causa de impedimentos na utilização do FGTS para abater o saldo devedor.

Isso ocorre pelo fato de que há regras específicas para o uso do FGTS para o financiamento de um imóvel. Essas regras são previstas pela legislação brasileira e podem ser observadas junto ao banco o qual será feito o processo. De forma geral, o comprador deve se atentar ao limite do valor do imóvel para que o FGTS possa ser utilizado no financiamento.

3. Prazos curtos e tarifas altas para compradores a partir de 60 anos de idade

Segundo o Diário de Pernambuco, os idosos enfrentam mais dificuldades ao tentar financiar um imóvel. Isso ocorre devido ao fato dos bancos brasileiros fornecerem um prazo máximo para parcelamento até a idade de 80 anos. Assim, o processo é dificultado em forma de prazos curtos e taxas mais altas.

Como os prazos são reduzidos, mesmo com uma renda alta, o idoso pode enfrentar problemas para conseguir o financiamento do imóvel desejado. Neste caso, a melhor forma de contornar a situação é tentar dar o maior valor de entrada possível.

4. Atrasos na entrega e aprovação de documentos

Entre os principais problemas com financiamento de um imóvel está também o prolongamento do processo. A negociação pode ser demorada devido à burocracias, as quais acabam acarretando em obstáculos para o comprador.

Além de atrasos na entrega de documentos, algumas aprovações podem retardar a conclusão do financiamento, tais como:

  • Se a sua renda é compatível com o empréstimo;
  • Se seu nome está no SPC / SERASA;
  • Entre outras burocracias.

Para evitar atrasos, procure entregar todos os documentos solicitados de forma correta e o quanto antes. Além disso, verifique desde já se há dívidas em seu nome e se sua renda condiz com o valor do imóvel financiado.

5. Não fazer uma reserva financeira

A falta de planejamento financeiro pode ser um dos maiores problemas na hora de lidar com um imóvel financiado. A felicidade de conseguir a aprovação do empréstimo não pode apagar a necessidade de reservar recursos financeiros para o pagamento das parcelas do imóvel.

Desta forma, atente-se às suas principais fontes de renda. Em seguida, faça um levantamento de seus gastos fixos e tente economizar no que não é essencial, criando assim uma poupança constante para suprir as parcelas de seu imóvel. O controle financeiro é a melhor forma de evitar falta de pagamentos de parcelas e consequente perda do imóvel financiado.

Portanto, para evitar problemas com financiamento de um imóvel, o primeiro passo é buscar conhecer e separar cuidadosamente a papelada exigida pelo banco responsável pelo empréstimo. Em seguida, tente agilizar a entrega da documentação e regulamentar a sua situação para sua aprovação junto ao banco. Além disso, como apontamos neste post, atente-se aos cálculos — principalmente em caso de imóveis vendidos na planta — bem como a valores de entrada e reservas financeiras para as parcelas. Assim, você pode evitar os principais obstáculos relacionados ao imóvel financiado.

E você, já enfrentou ou está lidando com outro problema para financiar seu imóvel? Escreva seu comentário e teremos o prazer de te ajudar!

Deixe um comentário